Antes de decidir operar a coluna, saiba que nem sempre é assim…

Os tratamentos da coluna

Na coluna vertebral temos diversos problemas diferentes. E como há muitos problemas diferentes, também percebemos que existem diversos tratamentos diferentes.

Cada tratamento pode visar um aspecto independente do problema. Assim, temos tratamentos que visam combater a dor. Outros que visam a melhoria da postura. Outros que visam alongamentos e fortalecimentos. Outros tratamentos visam a recuperação de uma lesão, que pode ser em ossos, ou nos discos.

Os tratamentos podem ser muitos: fisioterapia, acupuntura, RPG, quiropraxia e outros. Até também tratamentos alternativos, que não possuem grande base científica.

Mas, de forma geral, todos os tratamentos visam uma única coisa: a melhoria da qualidade de vida do paciente.

A qualidade de vida

Esse conceito de qualidade de vida pode englobar muitas coisas, entre elas o bem estar da pessoa, a capacidade da pessoa ser independente e conseguir realizar suas atividades, não só de trabalho, mas as atividades que lhe dão prazer.

Sabemos que pessoas com problemas na coluna muitas vezes se privam de pequenas coisas prazerosas da vida: não conseguem carregar crianças no colo, não conseguem fazer exercícios ou praticar esportes, não conseguem caminhar muito… tudo isso são fatores que derrubam a qualidade de vida de qualquer um.

Quando decidir operar

A maioria dos problemas de coluna devem ser tratados, pelo menos inicialmente, com tratamentos não cirúrgicos. Existem alguns poucos problemas que devem ser tratados cirurgicamente logo de cara. Casos como a Síndrome da Cauda Equina, os traumatismos raqui-medulares causados por fraturas ou luxações da coluna. Também algumas deformidades grandes com previsão de piora, devem ser operados o mais brevemente possível.

Mas, como dito, a maioria dos casos merecem tratamentos não cirúrgicos, pelo menos inicialmente. Mas, se esses tratamentos, sendo feitos corretamente, depois de umas 6 a 8 semanas, não estiverem tendo resultados, ou seja, ainda estiver muito comprometida a qualidade de vida do paciente, é preciso pensar em avançar o tratamento para procedimentos mais invasivos.

Dependendo do problema, podemos utilizar desde procedimentos menos invasivos, como bloqueios, infiltrações ou rizotomias, chegando até os tratamentos mais agressivos, as discectomias e, em último caso, a artrodese.

Converse bastante com seu médico, para seguir essa sequência. Mas sempre pense que a cirurgia pode ser necessária.

Abaixo um vídeo que fiz para falar sobre essa importante decisão, que deve ser tomada pelo paciente

 

 

Compartilhem esse artigo para cada vez mais pessoas terem acesso a essas informações. Curtam o vídeo e assinem meu Canal do Youtube – Saúde da Coluna.

Muito obrigado pela atenção, até a próxima!!!

 

Compartilhe nas suas redes:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Envie o seu comentário:

Rua Cubatão, 86 – conjunto 1104 – Vila Mariana – São Paulo – CEP: 04013-000