discectomia hérnia de disco

Discectomia, o que é isso?

Discectomia é um tipo de cirurgia que quer dizer “retirada do disco”. Na verdade, durante a cirurgia, o objetivo não é retirar todo o disco. O bjetivo é retirar a parte que virou uma hérnia, e que pode estar causando compressão de nervos, inflamação e dor.

Tipos de discectomia

Podemos dividir as discectomias em 4 tipos principais:

  • discectomia aberta (as mais tradicionais)
  • discectomia percutânea (eu já fiz um texto e um vídeo sobre isso, pode conferir AQUI)
  • discectomia endoscópica
  • microdiscectomia (mini-open)

Os três últimos tipos podem ser consideradas cirurgias minimamente invasivas.

Como é feita a retirada das hérnias de disco?

O objetivo é retirar o fragmento de disco herniado e descomprimir os nervos que podem estar sendo pinçados.

Na cirurgia aberta, através de um corte na pele é feito o acesso até a coluna. O tamanho do corte depende do tamanho do paciente, e se o paciente é mais gordo ou mais magro. A localização é aquela que seria o acesso mais fácil e seguro para a hérnia. Ou seja, na parte da frente do pescoço quando falamos de hérnia de disco cervical e geralmente na região lombar, quando a hérnia está na coluna lombar. Nas hérnias de disco lombares às vezes também podemos fazer discectomia por via anterior, ou seja, com corte na região abdominal.

Na cirurgia “mini-open”, ou microdiscectomias, a cirurgia também envolve alguns cortes, mas pode ser feita com cortes menores. Isso porque são utilizados equipamentos que propiciam uma melhor visão para o cirurgião acessar a hérnia de disco dentro da coluna. São utilizados, por exemplo, microscópio, afastadores especiais, lupas, fontes de luz e pinças diferenciadas para tal. Os cortes acabam por ser consideravelmente menores.

Na cirurgia endoscópica o acesso é feito por um ou mais pequenos furos na pele, por onde se introduzem pinças e uma pequena câmera para ver a hérnia de disco com fibra ótica.

No caso da cirurgia percutânea a vizualização da hérnia não é direta como na câmera da endoscopia. Então a localização da hérnia é feita através de exames. Também o acesso é feito através de furos na pele.

 

Complicações das discectomias

Existem complicações que podem acontecer em qualquer tipo de cirurgia (infecções, sangramentos, cicatrização ruim). E há algumas complicações extremamente raras e imprevisíveis, existem duas complicações principais.

A primeira complicação mais importante é a lesão da raiz nervosa que o cirurgião está tentando liberar da compressão da hérnia de disco. Isso pode acontecer em casos de hérnias muito grandes e difíceis, ou hérnias muito antigas. É uma complicação rara, que pode resultar em dor, diminuição de força de algum movimento. Muitas vezes essa complicação reverte sozinha, principalmente se ela ocorreu apenas pela manipulação da raíz nervosa. Mas a recuperação pode levar muito tempo, pois depende de cada organismo.

A segunda complicação mais importante é a lesão de meninges. Elas podem levar à uma fístula liquórica, que é o vazamento do líquido que banha todo o sistema nervoso. Esse tipo de lesão é reparável, cicatriza bem, mas causa desconforto no paciente pois precisa ficar mais tempo deitado para a recuperação. Nesses casos o repouso deitado é de dois a cinco dias, para não fazer pressão sobre o local onde ocorreu o ferimento.

 

Abaixo deixo o vídeo que fiz sobre esse assunto. Visitem meu Canal do Youtube, então se inscrevam lá para podermos sempre estar em contato, e os vídeos poderem ser cada vez mais divulgados para chegar nas pessoas que precisam. Visitem também minhas outras redes sociais.

Podem comentar e compartilhar esse conteúdo através dos links no final desta página.

Muito obrigado!

 

 

Compartilhe nas suas redes:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Envie o seu comentário:

Rua Cubatão, 86 – conjunto 1104 – Vila Mariana – São Paulo – CEP: 04013-000